quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

A Cidade

Cajui

São Paulo é multiplicidade, é unicidade
Sem esta cidade sem idade,
a vida seria muito menos confusa.
Também seria
imcompleta.
Quem quer que venha,
quem quer que vá,
nunca viverá tal experiência em qualquer outro lugar.
Coisas incomuns.
Atos isolados.
No ibotirama,canto à diversidade.

Megalópole,
mostra tudo reunido,
pode ser unido também
- porque "re" quer dizer novamente.
Todo mundo volta.
O mundo inteiro esta a volta.
Pessoas rezam, pessoas trepam.
Muitos choram.
A constância
- assim como a indiferença,
fazem parte desta onda louca.
Tudo acontece ao mesmo tempo.
Num mar de gente a maresia esta longe...
só que o rastro que ela deixa
vai além da imaginação.

Ninguém entende,
nem tenta explicar
pois não dá!
Tantos se perdem sob a sombra da noite,
outros tantos se encontram.
Há tudo e de tudo,
Sustenta o vício de todos os viciados,
o próprio lugar é vicioso.
Na sombra ela (cidade) se torna mais bela.
Com os detalhes obscuros suas silhuetas ficam mais claras.
Apenas detalhes:
Paulo virou santo e de "são" ninguém pode se queixar.
A sanidade aqui não pertence a ninguém.

Terra de ninguém e de todos.
Não acolhe engole.
Não mastiga cospe.
Não é mãe
nem pai,
só que em seus braços as diferenças se mostram indiferentes,
atrativo para quem quer viver:
dinheiro; glamour; aspiração
nenhum lugar se compara.
Mistura de 3º mundo com tecnologia
Prédios e favelas são germinados.
Quem quer que seja
nunca poderá tirar a autenticidade da cidade,
porque não há!
Apenas vivendo é que se vive São Paulo.

Ouvindo:
Música: Success
Art. Iggy Pop
Alb. Lord of Dogs Town



DICA
É dificil tentar explicar o que se passou na cabeça de um gênio para definir tamanha contribuição para a humanidade. Contestado por muitos, odiado principalmente pelo clero da época, mas também admirado por quem gosta de fugir do padrão comum. Falo sobre Niccolò Machiavelli - em português Nicolau Maquiavel.
Sua principal obra tem tamanha frieza na máxima "Os fins justificam os meios" que deixa de boca aberta, mas no fundo aumentando o senso crítico.
Cabeças pensantes vamos aproveitar um pouco do que já deixaram mastigado para nós.
"O príncipe"
Trad. Lívio Xavier
Pref. Isaiah Berlin
Trad. Bárbara Heliodora
Ed. Prestígio editorial 286 pgs








Um comentário:

Sabrina disse...

em seus braços as diferenças se mostram indiferentes (...)
a-d-o-r-o